• Jéssica Paula

Perdi o ônibus na Etiópia




Cheguei à Etiópia com um objetivo muito claro: visitar campos de refugiados no interior do país. A saga começou na capital Addis Abeba. Dali pegaria um ônibus com destino à cidade de Assosa, a cerca de 600 quilômetros de distância.

Segui o roteiro de qualquer pessoa que precisa comprar passagem em lugares sem internet: fui ao terminal de ônibus. Apesar de haver voos, o orçamento era apertado. Por 216,00 birr,

o mesmo que US$ 21,00, comprei o bilhete de ônibus para o dia seguinte.


No terminal, os vendedores de passagens ficam espalhados. É assim em praticamente toda a África. Quando há um guichê de atendimento, geralmente está fechado já que os bilhetes são vendidos aos gritos e próximo ao horário de saída dos ônibus.


Apesar de perceber que os funcionários não entendiam muito bem o inglês, confiei na resposta contundente que recebi: comprei um ticket para o ônibus que partiria no dia seguinte às 11h da manhã.


Pois, no dia seguinte, cheguei ao terminal às 10h30. Mesmo sabendo que eles nunca são pontuais, não queria correr o risco de perder a viagem por conta de qualquer imprevisto. Logo na portaria, um funcionário avisou que o ônibus já havia partido. Mas pediu para que eu confirmasse lá dentro. Não acreditei, já que estava adiantada.


Alguns metros adiante, três rapazes, como sempre sem qualquer identificação, juntaram-se em volta do táxi em que eu estava e me disseram sorrindo: “A senhora está um pouco atrasada”.




Contestei dizendo que sequer eram 11h. Eles riram entre si, não perderam a oportunidade de fazer piada com a estrangeira aqui e então me explicaram que eram 11h do “Ethiopian Time”, o tempo da Etiópia.


O que isso significa? Que no “International Time”, ou para a forma com que o resto do mundo conta o tempo, eu deveria estar ali às 5h da manhã.


Não se trata do fuso horário, mas sim da forma que os etíopes “nomeiam” as horas. Ali, o amanhecer do dias, às 6h da manhã é chamada de 00h ou 12h, é a partir desse horário que eles começam a contar as primeiras horas do dia - o que, para nós, é feito à meia noite.

Então agora já sabe, se for à Etiópia, nunca se esqueça de perguntar se o horário faz referência ao "Ethiopian Time" ou ao “International Time”.


Boa viagem.